DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Archive for the ‘PALESTRAS’ Category

PEQUENOS APRENDENDO SOBRE ANIMAIS PEÇONHENTOS PARA PREVENIR ACIDENTES

leave a comment »

Alunos do Maternal II da E.M. Luiz Martins receberam o setor de Educação e Comunicação do Centro de Controle de Zoonoses que apresentou a palestra “Lixo=Bicho – Animais e Doenças relacionadas ao descarte incorreto de lixo”.

Os pequenos além de aprenderem ações de cidadania como o descarte correto de resíduos, conhecem os bichos que são atraídos e que podem causar muitos problemas.

Após a apresentação, os alunos puderam ver de perto animais peçonhentos recolhidos pelo CCZ nas residências e assim, conhecerem os abrigos e os animais que ele não podem tocar e como proceder caso os encontrem.

Professores e alunos do 3º ano também estavam presentes na palestra e participaram da exposição de animais peçonhentos com muita curiosidade e questionamentos.

QUEM VAI AJUDAR A ELIMINAR CRIADOUROS DE MOSQUITOS?

leave a comment »

De 21 a 26 de Novembro: Semana Estadual de Mobilização de combate ao Aedes aegypti

Alunos da E.M. Profª Djiliah Camargo de Souza ficaram atentos às informações da palestra sobre o Mosquito Aedes aegypti e comprometeram-se a levar as “dicas” para eliminação de criadouros para seus amigos e familiares.

Mosquitos nascem diariamente em qualquer local ou quantidade de água parada; e a mobiliação de todos na eliminação de criadouros, é fundamental para o controle dos insetos e das doenças que eles podem transmitir.

PROJETO BANDEIRANTES CONTRA MOSQUITOS

leave a comment »

De 21 a 26 de Novembro é a Semana Estadual de Mobilização de combate ao Aedes aegypti

O Projeto Bandeirantes convidou o setor de Educação e Comunicação do CCZ para palestra sobre o Mosquito Aedes aegypti e as arboviroses que ele pode transmitir, como: Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela.

A direção do projeto também convidou a banda do projeto Pró Jovem que após a palestra, saíram pela ruas do bairro chamando a atenção dos moradores que, ao abrirem suas casas, receberam dos alunos e professores, folhetos informativos sobre o tema.

O modo mais eficaz para o controle destas doenças, é a eliminação dos criadouros de mosquitos: qualquer local ou quantidade de água parada. E para isto, a participação de toda sociedade é fundamental.

Parabéns ao Projeto Bandeirantes por esta importante iniciativa e ações que, além de conscientizar os jovens atendidos, estendeu as informações a familiares e toda a vizinhança.

JOVENS DO PROJETO ADRA RECEBEM INFORMAÇÕES DO CCZ

leave a comment »

O Centro de Controle de Zoonoses apresentou a palestra “Lixo = Bicho” aos jovens atendidos pelo projeto para conhecerem os problemas, os animais e doenças causadas pelo lixo descartado incorretamente.

O Projeto PAI – Plano de Assistência à Infância – um núcleo da ADRA – Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais, desenvolve o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Familiares e Comunitários à crianças e adolescentes na cidade de Rio Claro, atendendo os bairros Bom Sucesso, Jardim Novo Wenzel e Bom Retiro em conjunto com a Prefeitura Municipal de Rio Claro.

INFORMAR PARA PREVENIR

leave a comment »

Crianças da E.M. Maria Hartung – D. Birro- receberam o setor de educação e comunicação do CCZ para orientações preventivas sobre animais peçonhentos através da palestra Lixo = Bicho.


Após a apresentação com linguagem apropriada para os pequenos alunos do Infantil 1 e 2, eles puderam observar a vidraria e conhecer os bichos que não podem ser tocados, como escorpiões, cobras e aranhas.

EMPRESA ORWENS CORNING ORIENTA FUNCIONÁRIOS SOBRE ESCORPIÕES

leave a comment »

A empresa Orwens Corning tem cerca de 18.000 colaboradores espalhados em pelo menos 30 países produzindo fibras de vidro para isolamento, telhas & asfalto, geradores de energia-eólica, entre outros materiais para construção e serviços.

Sua filial em Rio Claro fabrica diversos produtos com aplicação para fibra de vidro e conta com cerca de 700 funcionários.

A direção da empresa convidou o setor de educação e comunicação do Centro de Controle de Zoonoses para palestra sobre animais peçonhentos e após a apresentação os participantes puderam observar os animais em vidraria e receberam folhetos informativos .

Com atenção maior para o escorpionismo, devido ao encontro destes aracnídeos em depósitos e na área verde da indústria, a empresa fixou cartazes em áreas de uso comum, como na entrada da empresa e no refeitório, sobre prevenção e orientações em caso de acidentes, além de imprimir o informativo

” COM ESCORPIÃO NÃO SE BRINCA ” o qual foi distribuído nas cestas básicas que os funcionários levam para suas famílias, podendo assim, compartilhar com todos as informações recebidas.

Este material foi elaborado pela pesquisadora científica da Secretaria do Estado da Saúde do Estado de São Paulo, Lúcia Henriques e disponibilizado para o CCZ Rio Claro que o distribui para a população.

SIPAT ALDORO TEM PARTICIPAÇÃO DO CCZ

leave a comment »

A empresa Aldoro Ind. Pós Pigmentos Metálicos está realizando a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho – SIPAT, e convidou o setor de educação e comunicação do Centro de Controle de Zoonoses para participar do evento.

O tema escolhido para orientações a seus funcionários este ano foi a Posse Responsável de Animais.

Esta palestra além das orientações para o bem estar animal, tem como objetivo a prevenção de diversas zoonoses que podem ser transmitidas pelos animais a humanos, a diminuição de abandonos e impactos ao meio ambiente.

E.M. LUCIDIA T.C.E. SOARES ORIENTA ALUNOS SOBRE CUIDADO COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

leave a comment »

Alunos de 03 a 06 anos da E.M. Lucidia, no bairro Boa Vista, receberam o setor de educação e comunicação do CCZ para conhecerem animais e os problemas gerados pelo descarte incorreto de lixo.

Após uma dinâmica apresentação, os aluninhos puderam observar a vidraria com animais peçonhentos para conhecer os bichos, poder distingui-los e assim, evitar acidentes.

CCZ PARTICIPA DA FORMAÇÃO DE SOCORROS DE URGÊNCIA DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

leave a comment »

O município de Rio Claro está promovendo cursos de treinamento em Socorros de Urgência para 200 professores das escolas públicas municipais. A ação está sendo realizada pelas secretarias municipais da Educação, Saúde e Esportes sob a responsabilidade da professora Carina Fragelli, coordenadora da Educação Física da Secretaria.

Nos cursos, que começaram em setembro e irão até novembro em oito datas, os educadores receberão orientações sobre procedimentos para picadas de animais peçonhentos, sangramento nasal, crises respiratórias, crises alérgicas e febre alta, entre outras situações e acidentes que podem ocorrem com os alunos num ambiente escolar.

O objetivo dos cursos é deixar os professores capacitados a agirem de maneira correta no atendimento imediato de crianças e adolescentes. Estes treinamentos passaram a ser uma exigência legal após a morte de Lucas Begalli, de 10 anos, em setembro de 2017, em Campinas (SP), ao se engasgar com um lanche durante um passeio escolar.

Conhecida como Lei Lucas, a Lei n°13.722, de 2018, tornou obrigatória a capacitação em noções básicas de primeiros socorros de professores e funcionários de estabelecimentos de ensino público e privados de educação básica e de estabelecimentos de recreação infantil.

A secretária municipal da Educação, Valéria Velis, destaca que “o município de Rio Claro já possui o histórico em formar, principalmente os professores de educação física, nesta temática, sendo necessário ampliar o alcance da formação para outros profissionais que trabalham com crianças e adolescentes”.

Professores de educação física, vice-diretores e alguns professores pedagogos passarão por dois dias intensos de formação com o auxílio do Centro de Zoonoses de Rio Claro, Liga de Traumatologia e Emergência da Uniararas, Defesa Civil de Rio Claro e Fundação Municipal de Saúde.

O Centro de Controle de Zoonoses participa através de seu setor de Educação e Comunicação com palestra e orientações sobre animais peçonhentos, atendimento em casos de acidentes e prevenção.

“A ideia é construir uma rede de ação que facilite o atendimento aos educandos que necessitem de atendimento rápido e de qualidade”, afirma o secretário de Esportes, Yves Carbinatti.

Os cursos terão como formadores Danilo A.Kuroishi (da Defesa Civil), Solange Mascherpe (do Centro de Controle de Zoonoses), Eleny Freitas Almeida (da Fundação de Saúde), e Antônio Francisco Peripato Filho e Giovana Inocencia Moroni Viola (da Uniararas). O Centro de Aperfeiçoamento Pedagógico da Secretaria da Educação e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) também participam da realização dos cursos.

Fonte: Imprensa Municipal de Rio Claro

SEMANA DE PREVENÇÃO À FEBRE MACULOSA

leave a comment »

De 13 a 23 de Setembro a Secretaria de Estado da Saúde, estipulou como “Semana de Prevenção à Febre Maculosa”.

O setor de Informação e Educação do Centro de Controle de Zoonoses participou do evento “A Febre Maculosa em tempo e espaço, determinando alertas”, realizado pela Coordenadoria de Controle de Doenças, para atualização sobre o vetor e a doença e assim, repassar as informações aos profissionais da área e para a população.

Os Agentes de Endemias da Fundação Municipal de Saúde receberam estas orientações através de palestra e um bate papo para sanar dúvidas e trocar experiências.

A Febre Maculosa é uma doença febril aguda causada por uma bactéria transmitida às pessoas através do carrapato Amblyomma Sculpitum ou Dubitatum , popularmente conhecidos como “carrapato estrela”, “carrapato de cavalo” ou “rodoleiro”.    O micuim (larva do carrapato) também pode transmitir a doença.

É uma doença de fácil tratamento, mas com índices de óbitos que chegam a 60% dos infectados. Porque isto acontece?  Por falta de informação à população e ao profissional de saúde.

Ao ter contato com o parasita e início dos sintomas, é fundamental que se procure um médico imediatamente e o informe sobre o contato ou que frequentou áreas de risco, tais como: matas, sítios, campos de várzea, pesqueiros, cachoeiras, parques, florestas, etc.

O homem é infectado através da picada do carrapato estrela ou micuim que eventualmente carrega a bactéria Rickettsia rickettsii nas suas glândulas salivares. Esse carrapato hematófago pode ser encontrado em animais de grande porte (bois cavalos, etc.), cães, aves domésticas, roedores, animais selvagens como os gambás, cachorros-do-mato, coelhos, tatus e cobras., e, especialmente, na capivara, o maior de todos os reservatórios naturais.

Transmissão

Para haver transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Os mais jovens e de menor tamanho são vetores mais perigosos, porque são mais difíceis de serem vistos.

Não existe transmissão da doença de uma pessoa para outra.

Os primeiros sintomas aparecem de dois a quatorze dias depois da picada. Na imensa maioria dos casos, sete dias depois.

A doença começa abruptamente com um conjunto de sintomas semelhantes aos de outras infecções: febre alta, dor no corpo, dor da cabeça, inapetência, desânimo. Depois, aparecem pequenas manchas avermelhadas, as máculas, que crescem e tornam-se salientes, constituindo as maculopápulas..

A erupção cutânea é generalizada e manifesta-se também na palma das mãos e na planta dos pés, o que em geral não acontece nas outras doenças exantemáticas (sarampo, rubéola, por exemplo).

O diagnóstico é realizadocomexame específico para o diagnóstico da febre maculosa

Tratamento

A febre maculosa brasileira tem cura desde que o tratamento com antibióticos seja introduzido nos primeiros dois ou três dias. O ideal é manter a medicação por dez a quatorze dias, mas logo nas primeiras doses o quadro começa a regredir e evolui para a cura total.

Atraso no diagnóstico e, consequentemente, no início do tratamento pode provocar complicações graves, como o comprometimento do sistema nervoso central, dos rins e pulmões, das lesões vasculares e levar ao óbito.

Recomendações

. Evite o contato com carrapatos. Se, por acaso, estiver numa área em que eles possam existir, como: beiras de lagos e rios, trilhas, pastos, parques, florestas, tome as seguintes precauções:

. Examine seu corpo cuidadosamente a cada três horas pelo menos, porque o carrapato-estrela transmite a bactéria responsável pela febre maculosa só depois de pelo menos quatro horas grudado na pele;

. Use roupas claras porque facilitam enxergar melhor os carrapatos;

. Coloque a barra das calças dentro das meias e calce botas de cano mais alto nas áreas que possam estar infestadas por carrapatos.

. Corte o mato e grama rente ao solo;                                                             

. Tenha cuidado ao retirar o carrapato que estiver grudado em sua pele: não esmague com as mãos ou unhas pois você pode adquirir a doença através de pequenos ferimentos na pele;

. Não se esqueça de que os sintomas iniciais da febre maculosa são semelhantes aos de outras infecções e requerem assistência médica imediata. Esteja atento ao aparecimento dos sintomas comuns a vários tipos de infecção e avise o médico para um  diagnóstico diferencial.

Não existe vacina contra a Febre Maculosa brasileira.