DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Posts Tagged ‘febre do nilo

DIFERENTES MOSQUITOS E DOENÇAS QUE TRANSMITEM

leave a comment »

                        SAIBA DIFERENCIÁ-LOS

O Aedes aegypti transmite dengue, zika e chikungunya. É preto com listras brancas, que na verdade são escamas  e dispõe de um desenho no tórax que lembra uma lira (instrumento musical). Picam principalmente no início da manhã e final da tarde  quando a temperatura está mais amena. Próprio de áreas tropicais. É um mosquito urbano que se prolifera em áreas com grande continente populacional.

                                               

O Aedes albopictus   é um  mosquito que também tem potencial para transmitir dengue, zika e chikungunya. Pesquisas comprovaram que a espécie carrega o vírus da febre amarela mas não tem capacidade de transmiti-la.  Ele está distribuído em áreas rurais na grande maioria dos Estados brasileiros. Apresenta o mesmo hábito alimentar do primo, Aedes aegypti, com maior atividade no início da manhã e no final da tarde. A diferença é que não se alimenta preferencialmente de sangue humano, mas do animal que encontrar pela frente.

Sabethes  junto ao Haemagogus, é o principal transmissor da febre amarela atualmente no Brasil. É um mosquito silvestre, que vive em região de mata e costuma ficar na copa das árvores – por essa razão, pica preferencialmente macacos. Coloca seus ovos no oco das árvores. É diurno, picando do meio-dia até o pôr do sol. Chama a atenção pelo colorido metalizado, com tons de violeta, roxo, azul e verde.

Os flebotomíneos, Lutzomya longipalpis, popularmente chamados de mosquito-palha, cangalhinha e birigui, transmitem a Leishmaniose. São pequenos, de cor clara e pousam de asas abertas. Têm hábitos noturnos. A transmissão da doença ocorre quando fêmeas do mosquito picam uma pessoa ou um animal infectado, como cães, gatos e cavalos e picam alguém saudável, transmitindo o protozoário Leishmania chagasi.

Os Anopheles  é um gênero de mosquito da família Culicidae e subfamília Anophelinae, dividido em torno de 400 espécies; popularmente chamado de mosquito-prego transmitem a malária.  A doença é transmitida por meio da picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada por Plasmodium, um tipo de protozoário. Esses mosquitos são mais abundantes ao entardecer e ao amanhecer. Também podem picar durante a noite, mas em menor quantidade. É frequente na região amazônica. Apenas as fêmeas transmitem a malária. Elas precisam de sangue para o desenvolvimento de seus ovos. Os machos se alimentam apenas de substâncias com açúcar, como néctar e seivas de plantas.

Culex quinquefasciatus é o pernilongo comum. Não é um grande transmissor de doenças, mas seu potencial para isso ainda está sendo investigado. No ano passado, a Fiocruz realizou um estudo em Recife, área de incidência da zika, e constatou que o Culex também tinha capacidade de transmitir a doença. Nessa mesma região, o pernilongo transmite o parasita que causa a elefantíase, única área do Brasil endêmica para essa doença. Ele tem hábitos noturnos, se reproduz em águas poluídas e está presente no meio urbano de regiões tropicais, subtropicais e temperadas do mundo.

Fonte: R7