DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Posts Tagged ‘imóveis

Neste sábado Zoonoses faz arrastão no Panorama e Recanto Paraíso

leave a comment »

Segundo dados divulgados pela Vigilância Epidemiológica durante a reunião do Comitê de Antropozoonoses, Rio Claro possui até o momento, 6 casos confirmados de Dengue e outros 48 sendo investigados. Dos casos positivos, dois foram registrados no Jardim Santa Elisa, um no Distrito de Assistência, outro em Ajapi, 1 caso no centro da cidade e por último, um caso considerado importado, da cidade de Praia Grande. O boletim informa ainda que 7 casos de Chikungunya estão sendo investigados e não há casos positivos. O vírus Zika até o momento não foi detectado em Rio Claro.

A Chefe de Núcleo de Combate ao Aedes, Maria Júlia Guarnieri Baptista informou que o Centro de Controle de Zoonoses tem intensificado bastante os trabalhos de busca por criadouros. De 1º de fevereiro até 20 de março foram visitados 22.950 imóveis no trabalho casa a casa. No mesmo período, os arrastões feitos aos sábados percorreram outros 5.382 imóveis. Neste sábado, dia 24, os agentes estarão nos bairros Recanto Paraíso e Panorama retirando todo material inservível encontrado em terrenos, casas e estabelecimentos. O trabalho começa às 8h00.

Caça às larvas

leave a comment »

 

O Centro de Controle de Zoonoses realizou de 1 a 15 de julho a Avaliação de Densidade Larvária. O índice conhecido como Breteau é o valor numérico que permite conhecer o nível de infestação de larvas do Aedes aegypti nos quatro setores do município percorridos pelos agentes. No total foram trabalhadas 124 quadras e 2.449 imóveis.

Embora os casos de Dengue tenham diminuído este ano em Rio Claro, os trabalhos de prevenção das equipes continuam sendo realizados. Os resultados do Breteau e do IIP (Índice de Infestação Predial) permitem a Zoonoses direcionar as ações de combate ao Aedes aegypti procurando diminuir a incidência das doenças  transmitidas pelo mosquito. O resultado final foi divulgado dia 20 e apontou um índice de 0.3, considerado satisfatório. A EPTV acompanhou o trabalho dos agentes. Confira no link:

http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/jornal-da-eptv/videos/v/centro-de-controle-de-zoonoses-de-rio-claro-coleta-dados-para-calcular-indice-de-breteau/5997175/

CCZ adota medidas de combate ao Zika Vírus

leave a comment »

A microcefalia em recém-nascidos ocasionada pela contaminação da gestante pelo Zika Vírus, assustou o país. A doença que até então demonstrava apresentar apenas sintomas leves, sem grandes consequências, passou a ser uma ameaça para as grávidas. Surgiu então o Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia. Nele o governo relacionou uma série de medidas, entre elas, intensificar a campanha de combate ao mosquito de dezembro de 2015 a junho de 2016, inspecionar todos os domicílios e instalações públicas e privadas urbanas até 31 de janeiro de 2016, por meio de força-tarefa com a participação de agentes de combate a endemias, agentes comunitários de saúde, forças armadas, defesa civil, bombeiros e policiais militares e realizar inspeções mensais até fevereiro e bimestrais, de março a junho de 2016, por meio de força-tarefa.

Em Rio Claro o Centro de Controle de Zoonoses já deu início às ações. As imobiliárias da cidade estão sendo contatadas para que recebam orientações sobre o combate ao mosquito. Corretores de imóveis são uma das peças-chave desse enfrentamento já que estão diariamente em contato com imóveis fechados, locais onde pode haver focos do Aedes. Em uma das apresentações feitas pelo IEC ficou evidente a importância da participação desse setor nas ações da Zoonoses. Entre as recomendações feitas aos corretores estão os cuidados com caixas d´água, ralos externos, calhas e piscinas dos imóveis que estão em negociação.

dengue 07 12 15 (7)Nas floriculturas as orientações se concentram na drenagem dos vasos e floreiras, para que a água não se acumule. Em algumas plantas, como a bromélia, atenção especial, por reter a água em seu interior.

 

A preocupação se estende na venda das plantas ao consumidor que deverá ser orientado a não transformar o vaso em um criadouro. Para isso a Fundação Municipal de Saúde produziu um adesivo que passará a ser entregue ao cliente no ato da venda.