DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Posts Tagged ‘maculosa

CCZ ORIENTA GRUPO DE BANDEIRANTES SOBRE FEBRE MACULOSA

leave a comment »

A Fundação Municipal de Saúde através do  Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro tem orientado diversos segmentos sobre Febre Maculosa, doença transmitida pelo carrapato estrela e que tem alto índice de mortalidade.

A informação para profissionais de saúde e para quem frequenta áreas com risco de contato com carrapatos, é fundamental para inibir agravamento da doença e principalmente, óbitos.

Em razão de passeios e acampamentos em áreas de risco, no último sábado, 29, equipe de educação do CCZ esteve presente na sede do Grupo Bandeirantes Cidade Azul para palestra  sobre a doença.

Na oportunidade, também foram dadas informações sobre o descarte incorreto de lixo e suas consequências;  como a transmissão de zoonoses e a atração de diversos animais como ratos e peçonhentos.

Transmissão da Febre Maculosa

Para haver transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Os mais jovens e de menor tamanho são vetores mais perigosos, porque são mais difíceis de serem vistos.

Não existe transmissão da doença de uma pessoa para outra.

Os primeiros sintomas aparecem de dois a quatorze dias depois da picada. Na imensa maioria dos casos, sete dias depois.

A doença começa abruptamente com um conjunto de sintomas semelhantes aos de outras infecções: febre alta, dor no corpo, dor da cabeça, inapetência, desânimo. Depois, aparecem pequenas manchas avermelhadas, as máculas, que crescem e tornam-se salientes, constituindo as maculopápulas..

A erupção cutânea é generalizada e manifesta-se também na palma das mãos e na planta dos pés, o que em geral não acontece nas outras doenças exantemáticas (sarampo, rubéola, por exemplo).

O diagnóstico é realizado com exame específico para o diagnóstico da febre maculosa

Precauções

. Evite o contato com carrapatos. Se, por acaso, estiver numa área em que eles possam existir, como: beiras de lagos e rios, trilhas, pastos, parques, florestas, tome as seguintes precauções:

. Examine seu corpo cuidadosamente a cada três horas pelo menos, porque o carrapato-estrela transmite a bactéria responsável pela febre maculosa só depois de pelo menos quatro horas grudado na pele;

. Use roupas claras porque facilitam enxergar melhor os carrapatos;

. Coloque a barra das calças dentro das meias e calce botas de cano mais alto nas áreas que possam estar infestadas por carrapatos.

. Corte o mato e grama rente ao solo;

. Tenha cuidado ao retirar o carrapato que estiver grudado em sua pele: não esmague com as mãos ou unhas pois você pode adquirir a doença através de pequenos ferimentos na pele;

. Não se esqueça de que os sintomas iniciais da febre maculosa são semelhantes aos de outras infecções e requerem assistência médica imediata. Esteja atento ao aparecimento dos sintomas comuns a vários tipos de infecção e avise o médico para um  diagnóstico diferencial.

Não existe vacina contra a febre maculosa brasileira.

Anúncios

CCZ ATUALIZA INFORMAÇÕES SOBRE FEBRE MACULOSA NA UNESP

leave a comment »

Visando evitar óbitos, CCZ orienta diversos setores municipais

Febre Maculosa é uma doença  com grande números de mortes em razão de seus sintomas serem semelhantes à outras  doenças,  como Dengue ou  Leptospirose.

A informação é fundamental para que  profissionais  de saúde sejam alertados e possam iniciar tratamento adequado.

O setor de educação do Centro de Controle de Zoonoses tem repassado informações sobre prevenção e tratamento da Febre Maculosas ao final de  todas palestras ministradas.

Solange Mascherpe, Chefe de Núcleo de Zoonoses e Daiana Carolina Joaquim, Agente de Endemias, participaram de Mini Curso sobre Carrapatos na UNESP, apresentado  pela Dra. Patricia Rosa de Oliveira , pelo Prof. Luiz Adriano Anholeto e professores da Esalq de Piracicaba. Esta  atualização sobre o tema,  tem como objetivo ampliar conhecimentos para serem repassados à população, evitando-se óbitos, como tem ocorrido em cidades vizinhas.

A doença começa abruptamente com um conjunto de sintomas semelhantes aos de outras infecções: febre alta, dor no corpo, dor da cabeça, inapetência, desânimo. Depois, aparecem pequenas manchas avermelhadas, as máculas, que crescem e tornam-se salientes.  A erupção cutânea é generalizada e manifesta-se também na palma das mãos e na planta dos pés;

Atraso no diagnóstico e, consequentemente, no início do tratamento pode provocar complicações graves, como o comprometimento do sistema nervoso central, dos rins e pulmões, das lesões vasculares e levar ao óbito.

Prevenção:

. Evite o contato com carrapatos. Se, por acaso, estiver numa área em que eles possam existir, como: beiras de lagos e rios, trilhas, pastos, parques, florestas, tome as seguintes precauções:

. Examine seu corpo cuidadosamente a cada três horas pelo menos, porque o carrapato-estrela transmite a bactéria responsável pela febre maculosa só depois de pelo menos quatro horas grudado na pele;

. Use roupas claras porque facilitam enxergar melhor os carrapatos;

. Coloque a barra das calças dentro das meias e calce botas de cano mais alto nas áreas que possam estar infestadas por carrapatos.

. Corte o mato e grama rente ao solo;

. Tenha cuidado ao retirar o carrapato que estiver grudado em sua pele: não esmague com as mãos ou unhas pois você pode adquirir a doença através de pequenos ferimentos na pele;

. Não se esqueça de que os sintomas iniciais da febre maculosa são semelhantes aos de outras infecções e requerem assistência médica imediata. Esteja atento ao aparecimento dos sintomas comuns a vários tipos de infecção e avise o médico para um  diagnóstico diferencial.

Não existe vacina contra a febre maculosa brasileira.