DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Posts Tagged ‘pets

CCZ ORIENTANDO NOVOS ALUNOS DA UNESP

leave a comment »

Alunos receberem informações sobre os serviços municipais da cidade

Durante a recepção de 200 novos alunos de Biologia, Ecologia e Pedagogia da UNESP, o Centro de Controle de Zoonoses esteve presente no Campus orientando sobre Posse Responsável de Animais, Febre Maculosa e prevenção à arboviroses para as turmas da manhã e noite.

As orientações sobre Posse Responsável de animais visam a diminuição do abandono de animais, como muitas vezes acontecem ao final dos cursos ou férias. Para os que definitivamente querem um bichinho, o CCZ oferece castração gratuita e vacinação antirrábica diariamente.

As informações sobre Febre Maculosa são fundamentais para estes alunos que realizam pesquisas e trabalhos em campo,  consideradas áreas de risco de contato com carrapatos.  O conhecimento sobre a doença e o vetor, faz a diferença para que, se iniciados sintomas , o profissional médico seja avisado sobre o contato e inicie imediatamente tratamento para assim, evitar-se agravamentos ou óbitos.

Outro tema abordado foi a prevenção às arboviroses como: Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela, todas transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti . A eliminação de criadouros no Campus e nas repúblicas dos estudantes são ações essenciais para o controle do vetor  e diminuição na utilização de inseticidas que podem prejudicar outras espécies animais que são predadores de mosquitos, tais como: pássaros, lagartixas, aranhas, sapos, etc.

Estes futuros profissionais foram orientados também sobre os serviços públicos municipais.
Sejam bem vindos !

Calor acelera reprodução de carrapatos

leave a comment »

Animais infestados fazem donos procurarem ajuda da Zoonoses

Cão com carrapatos (1)

No calor a reprodução dos carrapatos, parasitas que não só infernizam a vida dos cães como também podem trazer doenças, aumenta consideravelmente, levando muitos donos de pets a procurarem ajuda especializada. Não é para menos. Além de ser difícil o controle da reprodução, os carrapatos causam sofrimento nos cães e são transmissores de doenças como a Erliquiose, causada por bactérias do gênero Ehrlichia, sendo a principal a Ehrlichia canis. Os sinais clínicos são febre (39,5 – 41,5° C), perda de apetite e de peso, fraqueza muscular. Menos frequentemente observam-se secreção nasal, perda total do apetite, depressão, sangramento pela pele, nariz e urina, vômitos, dificuldade respiratória ou ainda edema dos membros.

O animal pode também apresentar sangramentos crônicos devido ao baixo número de plaquetas (células responsáveis pela coagulação do sangue), ou cansaço e apatia devidos à anemia. O que pouca gente sabe é que apenas 5% desses parasitas ficam no animal. Os outros 95% estão no ambiente onde ele vive.

Outro tipo de carrapato, encontrado com maior frequência em animais de grande porte (cavalos, bois) podem ainda transmitir a Febre Maculosa.

Para orientar as pessoas que procuram ajuda, o Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro tem oferecido panfletos que explicam como prevenir o surgimento dos carrapatos. Um desses cuidados é evitar levar os cães até jardins ou gramados onde a presença de outros animais é frequente. Mas quando o problema já está instalado, não há outra solução que não seja a utilização de carrapaticidas apropriados, indicados por médicos veterinários. Para isso é necessário uma série de cuidados, seguindo sempre a posologia da bula que traz a quantidade correta do produto a ser aplicado e ainda uma proteção total durante a aplicação no ambiente.

É recomendado realizar aplicações do carrapaticida periodicamente, para que todas as fases (ovo, larva, ninfa e adulto) do carrapato sejam eliminadas. Nenhum procedimento deve ser feito sem a orientação de um profissional. Dependendo do estado de infestação, no primeiro mês deve-se aplicar semanalmente o produto, no segundo mês a cada quinzena e depois uma vez ao mês até acabar. É importante trocar de carrapaticida a cada mês já que o carrapato adquire resistência aos produtos aplicados.

Acesse outras informações sobre o carrapato na página do Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro através do link: https://cczrioclaro.wordpress.com/carrapato/

NÃO DÊ UM PET DE PRESENTE NO DIA DOS NAMORADOS , NEM DE RAÇA , NEM SRD

leave a comment »

POSSE RESPONSÁVEL

         NÃO DÊ UM PET DE PRESENTE NO DIA DOS NAMORADOS , NEM DE RAÇA , NEM SRD

Quando vemos uma ninhada de cãezinhos e gatinhos, a vontade é de ficar com todos, não é? São lindos, brincalhões, mas… eles crescem.

A Posse Responsável de Animais começa antes mesmo de se adquirir um animalzinho.

Cães e gatos  podem viver cerca de 15 anos e dependem totalmente de nós.

Devemos pensar:  tenho dinheiro para levá-lo ao veterinário, comprar ração, remédios,  vacinas? Tenho tempo para recolher cocô e xixi diariamente? Tenho tempo e paciência para passear e dar atenção ao animal? Todos em casa gostam de animais? Tenho espaço suficiente?

Caso algum  destes itens seja negativo, resista, é melhor não adquirir o animal.

As causas de abandono são sempre as mesmas: gravidez indesejada( às vezes abandonam a mãe juntamente com os filhotes);  algum parente não gosta de bicho e para evitar brigas ,este é colocado para fora;  o espaço é pequeno e o animal estraga as “coisas”, não teêm tempo para limpeza diária de dejetos; está doente e não há dinheiro, etc.

Um animal pelas ruas fica sujeito a maus tratos, fome, sede, doenças . Além de colocar em risco à população, seja por agressão ou transmissão de zoonoses.

Para que o problema de abandono  e maus tratos seja resolvido ou minimizado, é necessário que todos tenham consciência de que animal não é mercadoria.

Quantas vezes um namorado(a) ou uma criança ganha um bichinho que resulta em discussões com a família que não queria ou ao término do namoro, ninguém mais quer o bicho?

Por isto, por mais bonitinho que seja um filhote ou animal, evite dar de presente , pois a decisão de ter ou não um bicho, deve ser pessoal.  Comprar então, só incentiva o comércio de animais que muitas vezes também resultam em maus tratos e mais abandonos.

Para que estes abandonos diminuam, e a médio e longo prazo, desapareçam, o Centro de Controle de Zoonoses implementou o Programa de Castração Gratuita. Em Maio de 2011 foi inaugurado o Centro Cirúrgico. Em um ano já foram realizadas mais de 2.500 castrações gratuitamente e com sucesso.

Caso você tenha tempo, dinheiro, paciência, espaço, amor e quiser um cão ou gato, não compre. Eles podem ser adotados no Centro de Controle de Zoonoses ou nas diversas ONGs da cidade.

Para castrar gratuitamente seu animal, é só ligar e agendar pelos telefones: 3527-0309 ou 3535-4441.

Como escolher comedouros e bebedouros para cães e gatos

leave a comment »

Muitas pessoas compram vasilhas para água e comida do animal como escolhem camisas, coleiras ou outros acessórios: pela aparência, cores, marca. Mas um inocente comedouro de plástico pode levar seu cão ou gato a desenvolver alergias ou intoxicações. A escolha de vasilhas merece atenção. Mas com tanta variedade no mercado, como saber a melhor?

Plástico

O preço e beleza são os atrativos das tigelas de plástico, mas elas não são uma boa opção. O plástico tende a se dissolver na presença de água e outros líquidos, o que resulta em ingestão contínua de petroquímicos. Além do perigo para filhotes que frequentemente roem e engolem pedaços do comedouro de plástico e podem sofrer sérias obstruções e perfurações gastrointestinais. A desinfecção do comedouro ou bebedouro de plástico é complicada. Se aquecido no microondas ou lavado com água fervente – modos comuns de se matar bactérias- o recipiente plástico libera o BPA (Bisfenol A) um composto orgânico associado ao diabetes, câncer de mama, baixa contagem espermática e doenças crônicas – isto vale também para humanos. Microorganismos adoram se infiltrar nas ranhuras do fundo da tigela de plástico. O contato regular do animal com estas bactérias, podem aparecer falhas no pêlo e dermatites na região do focinho e da boca. Os gatos podem desenvolver um tipo de acne, caracterizada pela presença de pontinhos pretos ou purulentos no queixo. Por isso, cuidado com os comedouros e bebedouros de plástico.

Alumínio

Tigelas de alumínio são bonitas, costumam ser baratas e são mais fáceis de limpar do que as de plástico e liberam uma certa quantidade de alumínio na ração ou água, o que pode causar malefícios para a saúde do animal a longo prazo. Se o bichinho morder ou estiver desgastada a vasilha terá vários alojamentos para bactérias e precisará ser trocada.

Cerâmica

Vasilhas de cerâmica são boas opções pois mantêm a água fresquinha NE não são atraentes para filhotes e adultos mordedores. Se a vasilha de cerâmica não for polida, há necessidade de desinfetá-la diariamente para evitar proliferação de bactérias nos poros. Coloque água fervente e lave bem com detergente, ou aqueça no microondas por uns três minutos para matar microorganismos. Cerâmicas polidas e pintadas não oferecem locais para bactérias se alojarem e são fáceis de higienizar, deve-se tomar cuidado com tipos de tinta e verniz que podem ter chumbo  e podem causar intoxicação.

Inox  (ou aço inoxidável)

Essa é uma das melhores opções. Vasilhas de inox são bonitas, duráveis, resistem à mordidas e são bastante fáceis de lavar e desinfetar. Por não terem poros, as bactérias não ficam alojadas nas paredes, evitando problemas de pele e contaminações. Para higienização basta água quente e detergente. O preço é que não ajuda e costuma ser mais caro que outros materiais.

Vidro

As vasilhas de vidro, juntamente com as de aço inoxidável, são as mais higiênicas. Não tem poros, são elegantes e de fácil desinfecção (coloque no microondas, água e detergente). Normalmente são mais baratas que as de inox, mas necessitam de algum suporte ou base antiderrapante para evitar que se quebre durante as refeições. São ótimas para gatos. A dificuldade é encontrar vasilhas confeccionadas especialmente para pets.