DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Posts Tagged ‘rural

FEBRE MACULOSA – CCZ ORIENTA TRABALHADORES RURAIS

leave a comment »

A Febre Maculosa é uma zoonose transmitida pelo carrapato estrela contaminado.

A informação sobre contato com carrapatos aos profissionais de saúde é fundamental para início do tratamento, evitando-se com isto, agravamentos e óbitos.

O setor de Educação e Informação do Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro, esteve na Fazenda São José orientando cerca de 300 trabalhadores das áreas administrativa, de produção e coletores para orientações sobre o vetor, sintomas e prevenção da doença.

Sintomas da Febre Maculosa:

A partir do 2º dia da picada do carrapato infectado até o 14º dia (em média 7 dias) sentimos:

. Febre

. Dor de cabeça

.Dores no corpo

. Manchas avermelhadas

. Olhos irritados

Ao 3º ou 4º dia podem ocorrer manchas avermelhadas (máculas) em torno no punho, tornozelos, tronco, rosto, pescoço, palmas das mãos e sola dos pés.

Na oportunidade, as profissionais do CCZ, Solange Mascherpe e Daiana Carolina Joaquim, além das instruções sobre a Febre Maculosa, aproveitaram para orientar os trabalhadores sobre animais peçonhentos.

.

 

Encerrada vacinação em cães e gatos na área rural

leave a comment »

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) encerrou esta semana a campanha de vacinação antirrábica em cães e gatos na área rural. As equipes de vacinação que desde abril estiveram em sítios e fazendas imunizaram no total 3.635 animais, sendo 2.923 cães e 712 gatos.

“Conseguimos ultrapassar a nossa meta que era aplicar 3.500 doses, garantindo com isso uma boa cobertura”, informou Diego Reis gerente do CCZ. A vacina protege o animal caso haja algum acidente com morcegos infectados. Nessa situação a Zoonoses deve ser avisada imediatamente para avaliar qual protocolo vacinal será adotado para manter o cão ou gato protegido. Caso o morcego ainda esteja no local ele será recolhido para análise. Especialmente na área rural é comum a presença desse mamífero. O contato de cães ou gatos com morcegos pode levá-los à morte, caso não estejam protegidos. Da mesma forma, cães e gatos infectados podem transmitir o vírus da raiva aos humanos.

A vacina é aplicada anualmente e se porventura algum morador não tenha conseguido imunizar seus animais durante a visita dos vacinadores, pode procurar a Zoonoses de segunda a sexta-feira das 7h00 às 16h00. A vacina é gratuita. O calendário da campanha de vacinação na área urbana está sendo elaborado e será divulgado em breve.

Zoonoses alerta para a importância da vacinação antirrábica

leave a comment »

                                                                                                                              vaccina

. Doença já foi registrada em dois equinos na região de Batovi

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Rio Claro faz um alerta para a importância de manter os animais de grande porte, equinos e bovinos e também os de pequeno porte, cães e gatos, protegidos contra a raiva, através da vacinação. Este mês, o CCZ registrou  dois casos positivos de raiva em equinos na região de Batovi. A orientação para os proprietários de animais de grande porte é procurar doses da vacina contra a doença na Casa da Agricultura (órgão estadual), que fica na rua 3-A, número 903, entre as avenidas 38-A e 40-A, na Vila Alemã.

Com relação aos cães e gatos, o CCZ já está realizando um bloqueio do vírus no distrito, com vacinação feita de casa em casa pelos agentes de saúde. Os proprietários que não estiverem em suas casas no momento da visita devem procurar o Canil, localizado na avenida 8 entre as ruas 1 e 1-B, Cidade Nova ou o Centro de Controle de  Zoonoses, na Rua Alfa s/nº, Distrito Industrial. Pessoas que tiveram contato com animais suspeitos devem procurar orientação na Vigilância Epidemiológica, através do telefone 3532-3720.

A raiva é um doença viral prevenível de mamíferos, que geralmente é transmitida através da mordida de uma animal infectado. A penetração do vírus acontece através da saliva do animal infectado, principalmente pela mordedura, arranhadura, lambedura de mucosas. O vírus penetra no organismo, multiplica-se no ponto de inoculação, atinge o sistema nervoso periférico e, posteriormente, o sistema nervoso centra (sentido centrifugo). A partir daí, dissemina-se para vários órgãos e glândulas salivares, onde também se replica (sentido centrípeto) e é eliminado pela saliva das pessoas ou animais enfermos.

Em humanos a raiva pode matar se o ferimento não for limpo imediatamente e abundantemente com água e sabão e administrada a vacina.

Todos os anos, mais de 15 milhões de pessoas em todo o mundo recebem uma vacinação pós-exposição para prevenir a doença. A OMS estima que esse procedimento evita centenas de milhares de mortes por raiva anualmente.