DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Archive for the ‘febre amarela’ Category

MAIS DE UMA TONELADA DE MATERIAL RECOLHIDO POR MUTIRÃO NO SANTA ELIZA

leave a comment »

 

 

No último sábado, 6,  equipes do Centro de Controle de Zoonoses juntamente com o Caminhão Cata Bagulho da  Secretaria de Meio de Meio Ambiente , realizaram Mutirão para retirada de prováveis  criadouros de mosquitos nas residências do bairro Santa Eliza.

Vinte e três agentes percorreram as residências  do bairro recolhendo materiais que poderiam  acumular água e servir de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika. Chikungunya e Febre Amarela.

O resultado dos trabalhos foram 1.175 imóveis visitados e mais de 1.800 Kg de inservíveis recolhidos pelo Caminhão Cata Bagulho .

O bairro registra grande número de lixo jogado por moradores em terrenos, doentes positivos de Dengue e muitas reclamações sobre escorpiões.

A população tem a seu dispor os serviços oferecidos pela prefeitura municipal como: coleta diária de lixo, Eco Pontos , a visita mensal do Caminhão Cata Bagulho e precisa conscientizar-se de que o lixo jogado inadequadamente atrai insetos e com eles as diversas zoonoses relacionadas colocando em risco a saúde de suas famílias e toda comunidade.

Lembrando que a densidade larvária (número de larvas de mosquitos) nas casas continua deixando o município em estado de Alerta e ações preventivas devem ser tomadas desde já para impedir epidemias no próximo verão.

Os Mutirões continuarão a ser realizados aos sábados nos bairros onde são registrados positivos de Dengue e Chikungunya e onde são registrados grande  números de criadouros.

Colabore com a saúde de sua família eliminando qualquer local ou quantidade de água parada e jogando lixo  em locais corretos.

 

Anúncios

USF SANTA ELIZA EM CAMPANHA CONTRA LIXO E DOENÇAS RELACIONADAS

leave a comment »

Andando pelas ruas da cidade, independente do bairro, encontramos lixo jogado  irregularmente pela própria população em praças, ruas, terrenos.

O problema não é apenas a paisagem feia, são as consequências que este descarte gera, como a atração de animais peçonhentos, ratos, baratas e com eles as zoonoses relacionadas: dengue, leptospirose, entre outras.

O Centro de Controle de Zoonoses tem realizado palestras sobre o tema em escolas, empresas, projetos, igrejas na tentativa de conscientizar cidadãos para prevenir diversas doenças.

O bairro Santa Eliza registra alguns casos positivos de Dengue, escorpiões e claro, muito lixo espalhado pelos terrenos.

Profissionais de saúde da USF Santa Eliza preocupados  com a saúde dos moradores, convidaram equipe de educação do CCZ para orientação ao público atendido através da palestra: Lixo = Bicho – Animais e doenças relacionadas ao descarte incorreto de lixo e decoraram a unidade com informações relativos ao tema.

Parcerias que podem mudar hábitos, deixar o local onde moramos mais bonito e principalmente, mais saudável.

CCZ ORIENTA GRUPO DE BANDEIRANTES SOBRE FEBRE MACULOSA

leave a comment »

A Fundação Municipal de Saúde através do  Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro tem orientado diversos segmentos sobre Febre Maculosa, doença transmitida pelo carrapato estrela e que tem alto índice de mortalidade.

A informação para profissionais de saúde e para quem frequenta áreas com risco de contato com carrapatos, é fundamental para inibir agravamento da doença e principalmente, óbitos.

Em razão de passeios e acampamentos em áreas de risco, no último sábado, 29, equipe de educação do CCZ esteve presente na sede do Grupo Bandeirantes Cidade Azul para palestra  sobre a doença.

Na oportunidade, também foram dadas informações sobre o descarte incorreto de lixo e suas consequências;  como a transmissão de zoonoses e a atração de diversos animais como ratos e peçonhentos.

Transmissão da Febre Maculosa

Para haver transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Os mais jovens e de menor tamanho são vetores mais perigosos, porque são mais difíceis de serem vistos.

Não existe transmissão da doença de uma pessoa para outra.

Os primeiros sintomas aparecem de dois a quatorze dias depois da picada. Na imensa maioria dos casos, sete dias depois.

A doença começa abruptamente com um conjunto de sintomas semelhantes aos de outras infecções: febre alta, dor no corpo, dor da cabeça, inapetência, desânimo. Depois, aparecem pequenas manchas avermelhadas, as máculas, que crescem e tornam-se salientes, constituindo as maculopápulas..

A erupção cutânea é generalizada e manifesta-se também na palma das mãos e na planta dos pés, o que em geral não acontece nas outras doenças exantemáticas (sarampo, rubéola, por exemplo).

O diagnóstico é realizado com exame específico para o diagnóstico da febre maculosa

Precauções

. Evite o contato com carrapatos. Se, por acaso, estiver numa área em que eles possam existir, como: beiras de lagos e rios, trilhas, pastos, parques, florestas, tome as seguintes precauções:

. Examine seu corpo cuidadosamente a cada três horas pelo menos, porque o carrapato-estrela transmite a bactéria responsável pela febre maculosa só depois de pelo menos quatro horas grudado na pele;

. Use roupas claras porque facilitam enxergar melhor os carrapatos;

. Coloque a barra das calças dentro das meias e calce botas de cano mais alto nas áreas que possam estar infestadas por carrapatos.

. Corte o mato e grama rente ao solo;

. Tenha cuidado ao retirar o carrapato que estiver grudado em sua pele: não esmague com as mãos ou unhas pois você pode adquirir a doença através de pequenos ferimentos na pele;

. Não se esqueça de que os sintomas iniciais da febre maculosa são semelhantes aos de outras infecções e requerem assistência médica imediata. Esteja atento ao aparecimento dos sintomas comuns a vários tipos de infecção e avise o médico para um  diagnóstico diferencial.

Não existe vacina contra a febre maculosa brasileira.

SEMANA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL NA FACULDADE ASSER

leave a comment »

De 20 a 22 de Setembro nas dependências da Faculdade Asser, está sendo realizada a “Semana de Responsabilidade Social”.

A Fundação Municipal de Saúde participa com equipes do DST realizando exames  e com a equipe de educação e informação do Centro de Controle de Zoonoses expondo vidrarias com animais peçonhentos, folhetos informativos e palestra sobre Lixo=Bicho- Animais e doenças relacionadas ao descarte incorreto de lixo.

Alunos e professores participam das atividades e podem compartilhar os conhecimentos com suas famílias.

“VOCÊ E O MEIO AMBIENTE”

leave a comment »

EVENTO COMUNITÁRIO NO JARDIM DAS NAÇÕES-TERRA NOVA

A Prefeitura Municipal de Rio Claro através da Secretaria de Habitação realizou  neste sábado, 24,  na Quadra Principal do Jardim das Nações II o evento “Você e o Meio Ambiente”.
A ação teve por objetivo o envolvimento das famílias com ações ecológicas, com o bem estar social e que refletem diretamente na saúde dos moradores no bairro.
A Fundação Municipal de Saúde esteve  presente com equipe da Atenção Básica realizando aferição de pressão, teste de glicemia e doenças sexualmente transmissíveis e com agentes do Centro de Controle de Zoonoses que  expuseram  animais peçonhentos e orientaram  sobre  cuidados preventivos.
Houve  também Trilha Perceptiva organizada pela empresa Clarb, passeio de trenzinho para visitação à Estação de Tratamento da BRK, apresentações dos Grupos de Hip Hop do Claretiano e de Jiu Jitsu dos moradores do Edifício Polônia, além de delicioso lanche para os participantes.


CCZ TEM NOVO TEMA DE PALESTRA

leave a comment »

A Fundação Municipal de Saúde, através de sua equipe de educação e informação do CCZ, está ministrando a palestra: Lixo = Bicho – Animais e doenças relacionadas ao descarte incorreto de lixo – em escolas, igrejas, projetos, unidades de saúde.
Apenas no último mês, Solange Mascherpe e Daiana Carolina Joaquim  já levaram informações sobre os problemas relacionados ao lixo, para mais de 2.000 pessoas.
O objetivo é a conscientização do público sobre as doenças geradas e a diminuição de materiais descartados por ruas e terrenos da cidade.
Colabore: jogue lixo apenas em locais corretos.

Índice larvário é o mais alto medido em julho nos últimos anos

leave a comment »

O Centro de Controle de Zoonoses concluiu mais uma ADL- Análise de Densidade Larvária. Este levantamento realizado 4 vezes por ano, mostra o nível de infestação de larvas do Aedes aegypti, mosquito que transmite doenças como Dengue, Chikungunya e Zika. A análise apontou um índice de 1.1, considerado alto para o mês de julho. No ano passado a ADL foi de 0.3 e em 2014, alguns meses antes do início do surto de dengue no município, o índice estava em 0.8. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, número menor que 1.0 registrado no Breteau é classificado como tolerável; de 1 a 3,9, situação de alerta; e superior a 4, situação de risco.

Aliado ao resultado da ADL, uma outra preocupação do Centro de Controle de Zoonoses é com a introdução de um outro vírus da dengue em Rio Claro. Pelo município já circularam os vírus 1 e 4, deixando parte da população imune contra esses tipos. Na região de Campinas e Piracicaba, no entanto, já há registro da introdução do vírus 2. A Chefe de Núcleo de Combate a Endemias, Maria Júlia Guarnieri Baptista lembra que a dengue pode ser provocada por 4 vírus  e que a pessoa infectada fica imune aos tipos já adquiridos, mas vulnerável aos demais. “Outro fator bastante preocupante é que o fato de estarmos sem chuva há meses não impediu a reprodução do Aedes, visto que ela está ocorrendo dentro das residências pela ação do homem” enfatizou Maria Júlia.

Nas casas vistoriadas foram encontradas larvas em plantas aquáticas, pratos de plantas, bebedouros, galão de água, ralos externos, caixas d´água, pneus, baldes, regadores, piscina, material de construção, peças de sucatas, lonas, encerados, latas de tinta, potes de sorvete, vasilhas para animais, entre outros locais.

Para realizar a ADL o município é dividido em 4 áreas. A área 1, compreende bairros como Jardim Florença, Vila Nova, Vila Alemã, São Miguel, Vila Industrial, Jardim Bandeirantes e outros adjacentes. A área 2 são bairros do Grande Cervezão. Área 3 a região central e bairros próximos e área 4, bairros Bonsucesso, Novo Wenzel, Jardim Brasília, Guanabara, Palmeiras entre outros. O maior índice de densidade larvária foi encontrado na área 1.

Mais uma vez o Centro de Controle de Zoonoses faz um alerta à população para que não deixe água parada em recipientes e adote a vistoria dentro de casa como um hábito constante.

 

Written by I.E.C - CCZ

31/07/2018 at 8:00 am