DENGUE: SE VOCÊ AGIR, PODEMOS EVITAR

Archive for the ‘DOAÇÃO’ Category

CCZ INCENTIVA A POSSE RESPONSÁVEL DE ANIMAIS PARA CRIANÇAS DO PROJETO ADRA

leave a comment »

Equipe CCZ de Educação esteve no Projeto Adra ministrando  palestra  de Posse Responsável

Quem pretende ter um bichinho de estimação, precisa pensar em alguns pontos fundamentais para que a adoção seja feita com responsabilidade.

Estima-se que cães e gatos vivam de 10 a 15 anos ou mais, portanto não se pode adotar um animalzinho por empolgação ou emoção.

Todo animal precisa de cuidados: vacinas, alimentação, um lugar apropriado para dormir e muito amor.

Foi um bate papo bastante divertido e cheio de histórias de cachorros e gatos.

 

 

Mais de 8.400 animais já foram vacinados contra raiva na campanha urbana

leave a comment »

 

Apesar do mau tempo, as equipes de vacinação do Centro de Controle de Zoonoses mantiveram o cronograma da campanha e vacinaram contra a raiva quase 3 mil animais no último final de semana. Foram 2.417 cães e 504 gatos, num total de 2.921 animais imunizados. Do início da campanha até o momento já foram aplicadas 8.425 doses da antirrábica, número que corresponde às expectativas do CCZ.

No próximo final de semana a campanha prossegue das 9h00 às 16h00 nos seguintes locais:

DIA 07/09/2019 – SÁBADO

1- Igreja da Aparecida: Rua 2 A com Avenidas 28 e 30, VILA APARECIDA

2- Colégio Koelle: Avenida 16 com Ruas 4 e 5, CENTRO

3- Escola Dr Paulo Koelle: Rua 12 com Avenidas 5 e 7, VILA DO RÁDIO

4- Praça Vila Saibreiro: Ruas Saibreiro II e Saibreiro III com Avenida 40, VILA SAIBREIRO

5- Praça Próxima à Padaria La Baguette: Rua M 4 com Rua M 4 A e Avenida M 17, VILA MARTINS

6- SESI: Avenida M 29 com Rua 3 JF, JARDIM FLORIDIANA

7- Sobradão: Avenida 1 RP, JARDIM REGINA PICELLI

DIA 08/09/2019 – DOMINGO

1- USF Jardim Boa Vista/Nosso Teto: Avenida 88 BV com Ruas 19 BV e 20 BV, JARDIM BOA VISTA

2- Campo de Malha: Rua 21 BV com avenidas 98 BV e 100 BV, JARDIM BOA VISTA

3- Terreno Jardim Santa Maria: Avenida 80 BV com Rua Jacutinga, JARDIM SANTA MARIA

4- USF Santa Eliza: Rua 25 SE com Avenidas 42 SE e 48 SE, JARDIM SANTA ELIZA

5- Escola Samira Assêncio Savoldi: Rua 28 SE com Avenida 40 SE, JARDIM SANTA ELIZA

6- UBS WenzeI: Rua 21 com Avenidas 60 e 62, WENZEL

7- Praça em Frente ao Supermercado Dia: Rua Jacutinga com Avenidas 42 e 44, PARQUE UNIVERSITÁRIO

Mais uma linda história com final feliz

leave a comment »

Esta semana foi marcada por vários momentos de emoção e sensação de dever cumprido na Zoonoses. Jorjão, um cão que estava no CCZ há semanas aguardando por um lar, conseguiu uma família e já está na nova casa. No mesmo dia, Thor que há 1 ano e meio estava esperando sua vez, também seguiu seu caminho e ganhou um espaço só para ele na casa do seo Aparecido.

Para fechar a semana, mais um final feliz. Depois de 3 anos desaparecido e longe da dona, Sansão, que na verdade se chama Thor, voltou para casa. Durante este tempo todo ele perambulou pelas ruas e acabou se unindo a outros cães no Jardim São Paulo. Em setembro do ano passado foi recolhido. Uma protetora reconheceu o animal quando ele passeava com o tratador da Zoonoses na rua e contou para Cristiane, a dona. Ela, que esteve atrás do cão durante todos esses anos decidiu confirmar se de fato era o seu filhote. Reconheceu o animal e o mais impressionante, foi reconhecida por ele também.

Hoje Cristiane esteve no CCZ para buscar o seu filhotão e o encontrou bem tratado, vacinado, castrado e bem de saúde. O encontro provou que mesmo que se passem anos de separação, o cão jamais se esquece de seu dono. Foi um momento especial para todos. Cristiane contou que adotou Thor quando ele era ainda um bebê e tinha enfrentado uma longa viagem do Mato Grosso até Rio Claro. Com 1 ano de idade ele sumiu e desde então ela vinha tentando saber do seu paradeiro. Ficou bastante emocionada ao rever o animal. Mais uma história com final feliz para fechar a semana.

 

ÚLTIMO BOLETIM REGISTRA MAIS DE 680 PESSOAS COM DENGUE

leave a comment »

 

 

Essa é a cena encontrada na maioria dos mutirões realizados aos sábados

 

De acordo com o boletim informativo da Vigilância Epidemiológica divulgado nesta quinta-feira, dia 27, durante a reunião do Comitê de Antropozoonoses, 682 pessoas já passaram por atendimento médico com resultado positivo para a dengue de janeiro até junho. Outros 595 casos ainda estão sendo investigados laboratorialmente. Apenas 15 do total de casos positivados são considerados importados. As demais pessoas diagnosticadas com a doença adquiriram o vírus no próprio município.

Em todos os setores da cidade as equipes do Núcleo de Combate a Endemias têm encontrado criadouros do mosquito. Até o momento, um óbito de uma jovem de 23 anos, atribuído ao vírus da dengue foi confirmado. Os agentes relatam que apesar de todo alerta feito pelas autoridades de saúde, ainda existem muitos criadouros nas residências dificultando o controle da doença.

De janeiro a junho foram feitos 17 mutirões de combate ao mosquito  realizados pelo Centro de Controle de Zoonoses, com apoio das secretarias do Meio Ambiente e Obras. No total os agentes recolheram 22 toneladas e mais 870 quilos de criadouros em vários bairros da cidade. Neste sábado, dia 29 as equipes estarão nos bairros Vila Paulista e Jardim Conduta.

De 1º de maio a 26 de junho a Zoonoses visitou 44.613 imóveis nos trabalhos casa a casa e nas operações bloqueio. No mesmo período, agentes estiveram em 156 imóveis nos chamados Pontos Estratégicos (depósitos de pneus, ferro velho, oficinas de desmanche de veículos, borracharias, oficinas de funilaria e cemitérios) e 52 em Imóveis Especiais (escolas, creches, hospitais, empresas e obras abandonadas).

Em julho o Núcleo de Combate a Endemias realiza uma nova Análise de Densidade Larvária. Em janeiro e em abril a ADL mostrou que Rio Claro está em estado de alerta com relação à quantidade de larvas encontradas.

Cães socializados pelo CCZ já podem ser adotados

leave a comment »

Thor

Chico

Dragão

Sansão

Lobinho

 

Alguns cães que estão sob a custódia do Centro de Controle de Zoonoses e que passaram por um processo de socialização, já podem ser adotados. A maioria deles está no CCZ há anos. O recolhimento foi necessário por serem animais com um histórico de agressão e que precisavam passar por um período de observação. Desde então aprenderam a ter uma convivência cada vez mais próxima com os tratadores, passaram a seguir uma rotina que inclui horários de alimentação, limpeza das baias e passeios diários e com isso adquiriram um outro comportamento. Pelo menos dois dos seis cães que estão na Zoonoses têm condições de adoção. Todos estão castrados.

“Socializar um animal que teve histórico de agressão é um trabalho longo, exige paciência, dedicação, avaliação de comportamento e acima de tudo, cuidado”, disse uma das tratadoras Bruna Sanches. Ela relata a experiência que teve com o Dragão, um cão sem raça definida que foi recolhido pela Zoonoses. Dragão vivia em um terreno, amarrado e em péssimas condições. Depois de ser agredido a pauladas por um menino, ele reagiu e acabou provocando ferimentos sérios no garoto que foi levado ao hospital. O caso ganhou grande repercussão na época. O cão que não tem raça foi identificado como um “Pitbull” e chegou ao CCZ com vários ferimentos. “Contando a história dessa forma, a idéia que se faz é de que o animal é violento, mas na verdade ele só precisava de atenção, alimentação, respeito e carinho”, revelou Bruna.  Dragão, que na Zoonoses ganhou outro nome, Lemão, é um cão  de aproximadamente 5 anos que nunca deu problema aos tratadores. Passeia na guia sem apresentar nenhum sinal de agressividade. “Ele precisa se acostumar a ter um lar, ter alguém que o alimente e com o tempo vai acabar se acostumando à nova vida”, garantiu Bruna.

Algumas empresas já adotaram os animais da Zoonoses para reforçar a guarda do patrimônio. Os animais ganham espaço e passam a ser um importante componente a mais de segurança dentro da empresa. Também houve casos de pessoas que adotaram para ter uma companhia.

Um dos casos de maior sucesso em termos de adoção dentro do Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro foi da empresa Ancel, em 2014. A cadela Menina, uma vira-lata que permaneceu por dois anos ocupando uma das baias da Zoonoses, passou a exercer uma função de guarda de patrimônio. A decisão de adotar um cão recolhido das ruas partiu do dono da empresa. Ele queria dar mais segurança aos vigias que fazem a guarda noturna e achou que seria interessante buscar um animal no CCZ. Menina chegou na Zoonoses depois de ser recolhida no bairro Recanto Paraíso onde atacou uma pessoa. Tratada pelos agentes, ela ganhou peso e estava há anos à espera de um lar definitivo.

Assim como Menina, existem outros cães no Centro de Zoonoses que podem exercer a mesma função. A adoção para famílias dificilmente é liberada. Na casa não pode haver outros animais ou crianças e o espaço também tem que ser satisfatório. A Zoonoses vai até a casa do adotante verificar se o local é adequado para o animal. As pessoas interessadas em adotar um cãozinho, podem visitar o CCZ de segunda a sexta-feira das 7h00 às 16h00.

Zoonoses faz trabalho de prevenção em escolas

leave a comment »

Setenta e cinco crianças do programa Educação Integral, da Escola Sylvio de Araújo receberam a equipe da Zoonoses para conhecer um pouco mais sobre o perigo que representa o acúmulo de lixo em local inapropriado e também a presença de criadouros dentro das casas que podem facilitar a reprodução do mosquito Aedes aegypti.

Posse Responsável foi o tema da palestra direcionada aos alunos do Projeto Flores. O cuidado com animais domésticos foi ressaltado durante a apresentação. A Zoonoses sempre alerta sobre a necessidade da castração em cães e gatos e na atenção que se deve dar a aplicação de vacinas contra a raiva e outras doenças.

O Centro de Controle de Zoonoses esteve também na empresa Agroceres passando orientações aos funcionários sobre formas de prevenção contra doenças transmitidas por ratos e mosquitos. Também foram expostas, durante 3 dias de palestras, maneiras de evitar acidentes com animais peçonhentos como escorpiões e cobras. Muitas das doenças acontecem por conta do armazenamento incorreto do lixo orgânico e devido ao lixo jogado pelas ruas e terrenos da cidade, formando mini-lixões. Nesses locais muitos animais nocivos saem em direção às casas colocando a saúde das pessoas em risco. A Agroceres já possui brigadas de combate para eliminação de criadouros do Aedes aegypti cujas inspeções são realizadas semanalmente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No Projeto Flores alunos conhecem mais sobre Posse Responsável

leave a comment »

Posse Responsável foi o tema da palestra direcionada aos alunos do Projeto Flores. O cuidado com animais domésticos foi ressaltado durante a apresentação. A Zoonoses sempre alerta sobre a necessidade da castração em cães e gatos e na atenção que se deve dar a aplicação de vacinas contra a raiva e outras doenças.